Prevenção de acidentes

O que a lei diz sobre o acidente de percurso

Acidentes de percurso são uma realidade que muitos trabalhadores enfrentam diariamente. Mas você sabe o que a lei diz sobre esse tipo de ocorrência? Entenda quais são os direitos do colaboradores.


Acidentes de percurso são uma realidade que muitos trabalhadores enfrentam diariamente. Mas você sabe o que a lei diz sobre esse tipo de ocorrência?

Entender os direitos e as responsabilidades do trabalhador e da empresa é essencial para garantir a segurança e o cumprimento das normas legais.

Neste artigo, você entenderá o que configura um acidente de percurso, os direitos do trabalhador, as responsabilidades da empresa e como um sistema de gestão de documentos pode auxiliar nesse processo.

O que é considerado acidente de percurso segundo a lei

Acidente de percurso é aquele que ocorre no trajeto entre a residência do trabalhador e o local de trabalho, ou vice-versa. Segundo a legislação brasileira, mais especificamente a Lei nº 8.213/91, ele é equiparado ao acidente de trabalho, garantindo ao trabalhador os mesmos direitos e benefícios.

Isso significa que, caso um funcionário sofra um acidente enquanto se desloca de casa para o trabalho ou do trabalho para casa, ele tem direito a receber o auxílio-doença, entre outros benefícios.

Para ser considerado um acidente de percurso, considera-se o trajeto habitual e direto, sem desvios não relacionados ao trabalho, como uma parada para fazer compras ou buscar o filho na escola.

Além disso, o acidente deve ocorrer durante o período que o trabalhador normalmente usa para se deslocar, levando em consideração os horários de entrada e saída do trabalho.

Acidentes de percurso incluem ocorrências como colisões de trânsito, quedas ao descer do ônibus, assaltos que resultem em lesões e até mesmo acidentes em meios de transporte alternativos, como bicicletas e patinetes.

Para que o acidente seja reconhecido, é necessário a comprovação do percurso e das circunstâncias, geralmente através de boletim de ocorrência, testemunhas e registros médicos.

Direitos do trabalhador em caso de acidente de percurso

Quando um trabalhador sofre um acidente de percurso, ele tem direito a uma série de benefícios e proteções garantidas por lei. Entre os principais direitos estão:

  • auxílio-doença por acidente de trabalho: se o acidente resultar em afastamento por mais de 15 dias, o trabalhador tem direito a esse benefício, pago pelo INSS,
  • estabilidade no emprego: após retornar ao trabalho, o empregado tem garantia de estabilidade por 12 meses, de modo que ele não pode ser demitido sem justa causa durante esse período,
  • manutenção do FGTS: durante o período de afastamento, a empresa deve continuar depositando o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) na conta do trabalhador,
  • assistência médica: o trabalhador tem direito a atendimento médico-hospitalar, medicamentos e reabilitação profissional, se necessário. Esses serviços podem ser fornecidos pelo SUS ou por meio de convênios mantidos pela empresa,
  • indenização: caso se comprove a culpa da empresa pelo acidente, o trabalhador pode ter direito a uma indenização por danos materiais e morais, o que inclui custos com tratamentos, perda de capacidade de trabalho e sofrimento causado pelo acidente.

Responsabilidades da empresa perante acidentes de percurso

Quando ocorre um acidente de percurso, a empresa tem várias responsabilidades para garantir que o trabalhador receba o suporte necessário e que todas as obrigações legais sejam cumpridas.

As principais responsabilidades incluem:

  • registro do acidente: a empresa deve registrar o acidente de percurso na Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT) e enviá-la ao INSS em até um dia útil após a ocorrência. Esse registro é essencial para que o trabalhador possa receber os benefícios a que tem direito,
  • assistência imediata: a empresa deve prestar ou garantir assistência médica imediata ao trabalhador acidentado. Isso inclui encaminhá-lo a um serviço médico e assegurar que receba os cuidados necessários,
  • manutenção do FGTS: durante o período de afastamento do trabalhador, a empresa deve continuar fazendo os depósitos do FGTS normalmente,
  • prevenção de acidentes: a empresa deve adotar medidas preventivas para evitar acidentes de percurso. Isso inclui medidas como promover campanhas de conscientização sobre segurança no trânsito e orientar quanto ao uso de rotas seguras,
  • documentação e comunicação: além de registrar o acidente, a empresa deve manter todos os documentos relacionados ao ocorrido organizados e acessíveis. Isso inclui laudos médicos, boletins de ocorrência e a própria CAT. A comunicação com o INSS deve ser constante para acompanhar o andamento do processo,
  • estabilidade no emprego: a empresa deve garantir a estabilidade  do trabalho no emprego por 12 meses após seu retorno, não podendo demiti-lo sem justa causa durante esse período.

Como um Sistema de Gestão de Documentos ajuda no gerenciamento de acidentes de percurso

Empresas que desejam melhorar o gerenciamento de acidentes de percurso podem se beneficiar de um Sistema de Gestão de Documentos (SGD). Este sistema oferece diversas funcionalidades que facilitam o cumprimento das obrigações legais e a organização de documentos.

A seguir, confira os principais benefícios.

Centralização da documentação

Com um SGD, todos os documentos relacionados aos acidentes de percurso ficam armazenados em um único local. Isso inclui a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), boletins de ocorrência, atestados médicos e laudos. A centralização facilita o acesso e a consulta a qualquer documento.

Rastreamento de processos

Um SGD permite acompanhar o status de cada acidente de percurso — bem como de outras ocorrências — em tempo real. Isso inclui desde o registro inicial até o retorno ao trabalho. O rastreamento facilita a gestão e o monitoramento de cada caso, garantindo que todas as etapas sejam cumpridas adequadamente.

Segurança e compliance

Os documentos armazenados em um SGD estão protegidos contra perdas e acessos não autorizados. Além disso, o sistema ajuda a empresa a manter a conformidade com as leis trabalhistas, evitando penalidades.

Eficiência na comunicação

O SGD melhora a comunicação entre os departamentos de RH, jurídico e segurança do trabalho. A troca de informações se torna mais ágil, facilitando a tomada de decisões e a implementação de medidas corretivas.

Relatórios e análises

O sistema oferece ferramentas de análise e geração de relatórios, permitindo que a empresa identifique padrões e tendências nos acidentes de percurso. Com essas informações, é possível desenvolver estratégias de prevenção mais eficazes.

Ao adotar um Sistema de Gestão de Documentos, a empresa demonstra um compromisso com a segurança e o bem-estar de seus funcionários, além de garantir a conformidade legal.

Toda empresa deve entender o que a lei diz sobre acidente de percurso. Conhecendo os direitos do trabalhador, as responsabilidades do empregador e como um Sistema de Gestão de Documentos pode auxiliar, é possível garantir um ambiente de trabalho mais seguro e legalmente protegido.

Para ter mais informações sobre o uso da tecnologia no RH, leia nosso post sobre digitalização de processos no setor.

Temas relacionados

 

 

Faça parte da nossa comunidade

Esteja sempre atualizado com as últimas novidades para sua empresa. 

 

Assine a nossa News